Camboriú está entre as poucas cidades brasileiras que fazem Coleta Seletiva

Camboriú faz parte de uma estatística que coloca a cidade como uma das poucas do Brasil que se preocupa com o meio ambiente e bem estar da sua população. Apenas 15% dos brasileiros têm acesso ao sistema de coleta seletiva. No ano passado a Fundação do Meio Ambiente de Camboriú (Fucam) recolheu 712 toneladas de material reciclável que deixaram de ir para o meio ambiente e tiveram um fim correto. Nesse ano a previsão da Fundação é aumentar esse número. 

Todo o resíduo que pode ser reciclado deve ser separado e destinado à coleta. Nesse ano a Fundação vai manter a rota e os dias da semana do ano passado, facilitando para o morador. “Não vamos fazer mudança no calendário. Esperamos que a população faça sua parte separando corretamente os resíduos.  A coleta seletiva é de extrema importância”, comenta o diretor da Fucam, Alexandre de Souza Metsger.  “Além de gerar renda para muitas pessoas e economia para as empresa, a coleta também é muito importante para o meio ambiente, uma vez que diminui a poluição dos solos e rios”, finaliza.  

O caminhão passa nas ruas a partir das 8h da manhã. Toda cidade é contemplada com a coleta, inclusive a área rural. O material é descarregado no galpão, do Jardim Aliança. Nesse local funciona uma cooperativa, mantida pela prefeitura, gerando renda para 30 famílias que trabalham na separação e venda do material reciclável. 

O que pode ser separado: Papel, plásticos, metais e vidros.

Confira o calendário 2019 

Segunda-feira: Bairros Areias e Taboleiro

Terça-feira: Monte Alegre e Santa Regina 

Quarta-feira: Centro, Jardim Bela Vista, Avenida Santa Catarina e Várzea do Ranchinho

Quinta-feira: Lídia Duarte, Jardim Paraíso, Rio Pequeno, Cedro, Jardim Aliança e Conde Vila Verde

Sexta-feira: Braço, Macacos, São Francisco, Santa Clara e Rio do Meio

#RevistaCamboriu

Deixe uma resposta