Projeto Robô Viajante – Por Leila Maria Severino

Meu nome é Leila Maria Severino sou Professora de educação infantil da Rede Municipal de Balneário Camboriú, trabalho há seis anos no Núcleo de Educação Infantil Rio das Ostras localizado no Bairro São Judas Tadeu. Com Licenciatura em Pedagogia e Especialista em Educação Infantil.

Desde 2017, sou Professora multiplicadora do Programa Terra Limpa de Educação Ambiental. Diante dessa experiência tenho elaborado meus projetos e planejamentos voltados a educação ambiental, trabalho com crianças da pré-escola com idade entre 5 e 6 anos. 

A educação ambiental é um processo permanente dia após dia. Nós profissionais do núcleo procuramos se envolver nas ações direcionadas ao meio ambiente e nas esferas que o constituem, bem como a sustentabilidade e o consumo sustentável, é ensinando e sensibilizando as crianças desde pequenas sobre a relação com a água, nos momentos de escovar os dentes, o uso do plástico e seu tempo de decomposição, o que é reciclagem, escolher materiais biodegradáveis. Existem tantas formas de olhar e zelar pela natureza, mas os adultos estão se distanciando de uma relação harmoniosa e pouco se respeita o ambiente em que vive. “Educação Ambiental envolve o entendimento de uma educação cidadã, responsável, crítica, participativa, em que cada sujeito aprende com conhecimentos científicos e com o reconhecimento dos saberes tradicionais, possibilitando a tomada de decisões transformadoras, a partir do meio ambiente natural ou construído no qual as pessoas se integram. A Educação Ambiental avança na construção de uma cidadania responsável voltada para culturas de sustentabilidade socioambiental. (Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica, 2010, p. 535)”.

Muitas das vezes por falta de conhecimento, sendo uma característica preocupante, uma vez que os recursos naturais estão cada vez mais ameaçados em consequência da ação humana, pois falar de sustentabilidade é sinônimo de manter-se. Somente percebendo-se como integrante do ambiente, o ser humano será capaz de promover ações a fim de amenizar as consequências produzidas nas esferas biofísica e social da problemática ambiental por ele criada. Logo, é importante que o desenvolvimento de um trabalho em educação ambiental considere criar necessidades nos indivíduos à reflexão sobre suas ações e atitudes, analisando o seu local de trabalho e de moradia como um espaço de convivência. Por isso, ensinar as crianças sobre a importância do meio ambiente e os cuidados necessários para sua manutenção é essencial ao desenvolvimento da responsabilidade e coletividade, uma vez que a preservação é prática de todos (ou pelo menos deveria ser) e em benefício do todo.

Contudo, nosso projeto de 2018 fez alusão à semana do lixo zero, pois conhecemos a artista plástica Mônica Turato, que faz um excelente trabalho com materiais retirados do lixo, principalmente do lixo da construção civil e durante suas caminhadas pela praia, onde encontra muitas tampas plásticas, palitos de pirulitos, canudos e brinquedos. Mônica visitou nosso núcleo onde expôs e relatou sobre essa sua ação sustentável. Nossas crianças ficaram encantadas com os robôs confeccionados com materiais recicláveis.

Nesse ano de 2019, Mônica presenteou minha turma com dois lindos robozinhos, a partir daí que surgiu a ideia do “Robô Viajante”. Eu Leila Maria Severino com minha colega de trabalho Marcia Gayardo organizamos uma maleta e confeccionamos um caderno de registros, assim preparamos essa proposta significativa para as crianças e suas famílias. Toda semana dois colegas do nosso grupo levam para suas casas a maleta com o caderno de registros junto ao “Robô viajante”, este permanece durante uma semana na casa da criança que junto à sua família desenvolvem uma ação ambiental, realizando fotografias de locais com acúmulo de lixo para que sejam registrados os impactos que podem causar ao meio ambiente, os locais que a família poderá escolher: praças, parques, ruas, praias ou lugares que tenham acúmulo de lixo, depois juntos desenvolverão uma ação promovendo a limpeza desse local, após esta ação novamente devem fotografar apresentando o antes e o depois para que possamos comparar essas imagens, em seguida com os materiais recolhidos do lixo, a criança com o auxílio de sua família poderão construir um brinquedo ou um robozinho e registrará os relatos de experiências no caderno, para assim compartilhar no grupo da sala com seus colegas, relatando como foi à passagem do robô viajante em sua casa.

O “Robô viajante” passará pela casa de todas as crianças do Jardim IID até o mês de outubro, então na última semana deste mês, será promovida semana do “lixo zero”, apresentaremos uma linda exposição de fotos da ação ambiental e dos brinquedos construídos com os materiais encontrados nos diferentes espaços pesquisados pelas crianças e famílias.

A intenção é sensibilizar o maior número de pessoas e mobilizar ações e atitudes sobre que preservar também é assunto de criança. A preocupação com o meio ambiente é atual e envolve toda a sociedade. Os problemas ambientais são constantes, pois é uma necessidade de sobrevivência. Quanto mais cedo o tema for abordado com as crianças, maiores as chances de despertar a consciência pela preservação. No ano de 1999, instituiu-se por meio da Lei nº 9 795, a Política Nacional de Educação Ambiental que nos diz em seu artigo 2º que “a educação ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não formal.” Por isso a educação pela vida sustentável deve começar já na educação infantil.

One thought on “Projeto Robô Viajante – Por Leila Maria Severino

Deixe uma resposta